Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2016

O quarto de Jack

Imagem
Essa última semana foi punk. Luto na família, tristeza profunda pela violência que parece não ter limites, descrença com a situação política do país e um resfriado pra acabar com qualquer resquício de ânimo que eu ainda tivesse. Como os planos de passear no final de semana arruinados, o jeito foi ficar em casa para me recuperar e ajeitar as coisas por aqui. Mas tudo na vida tem seu lado positivo, mesmo quando as coisas parecem sem solução. É exatamente sobre isso que se trata o filme o quarto de Jack (Room, 2015).
Sinopse: 
Joy (Brie Larson) e seu filho Jack (Jacob Tremblay) vivem isolados em um quarto. O único contato que ambos têm com o mundo exterior é a visita periódica do Velho Nick (Sean Bridgers), que os mantém em cativeiro. Joy faz o possível para tornar suportável a vida no local, mas não vê a hora de deixá-lo. Para tanto, elabora um plano em que, com a ajuda do filho, poderá enganar Nick e retornar à realidade.

Joy consegue transformar o quarto em um mundo pra Jack, mesmo com re…

É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã...

Imagem
A vida anda corrida. Talvez o ritmo frenético de cuidar de duas crianças pequenas e manter a vida doméstica minimamente organizada estejam contribuindo pra esse sentimento de que o tempo está voando.  Planejo passar os momentos finais do dia curtindo meus amados, mas na maioria das vezes, já estamos tão cansados que adormecemos sem perceber. É uma fase, eu sei. Mas gostaria de ter mais tempo ao lado dos que amo. Mais tempo antes que meus pequenos cresçam, mais tempo antes que o feriado termine e que o passeio e as brincadeiras dêem lugar a rotina massacrante. A vida é um sopro e às vezes termina sem que tenhamos tido tempo pra aquele telefonema ou pra aquele reencontro que estamos planejando há tempos. Hoje eu gostaria de ter mais tempo...

Envelheço na cidade

Imagem
Sempre gostei de fazer aniversário. Receber Abraços, telefonemas e mensagem me alegram e fazem sentir especial. Geralmente celebro com a família e amigos. Mesmo sendo uma dia agradável, existe uma certa ansiedade no ar. Acabo criando expectativa em relação a quem irá lembrar de me felicitar ou virá na comemoração. Esse foi meu primeiro aniversário como mãe de duas crianças. Não criei expectativas. Apenas aproveitei o dia. Li cada mensagem carinhosa com satisfação, almocei com minha família e passeamos com os meninos no parque. Senti profunda alegria de ver meu pequeno se divertindo, mas também uma pontinha de nostalgia ao pensar que não muito tempo atrás a criança era eu e que logo eles não serão mais crianças também. Fiquei feliz com cada palavra e demonstração de afeto que recebi ontem, mas também fiquei com o coração pequenininho de saudade e vontade de reencontrar pessoas tão amadas que estão distantes ou que não vejo a algum tempo. Como diria Zeca Baleiro: "A saudade é prego …